Coronariopatia Emergências

Por que não existe aumento falso-positivo de troponina?

Escrito por Eduardo Lapa

Esta publicação também está disponível em: Português

A troponina cardíaca é uma proteína específica do músculo miocárdico. Quando há qualquer tipo de injúria miocárdica resultando em dano celular, termina por haver estravazamento de conteúdo intracelular dos miócitos para a circulação sangúinea, incluindo aí a troponina. Assim:

Troponina detectável no sangue = injúria miocárdica.

Desta forma, o significado de níveis aumentados de troponina sérica sempre será este, não havendo portanto resultado falso-positivo (tropo aumentada na ausência de lesão miocárdica). Esta lesão pode ter origem em uma infinidade de causas (infarto, sepse, insuficiência cardíaca crônica, etc). Infarto é apenas uma das causas. Independentemente da causa que levou ao aumento da troponina sérica, o prognóstico será pior neste caso do que se os níveis do marcador fossem normais. Isto já está largamente demonstrado por estudos.

Dizemos que um teste tem resultado falso-positivo quando ele mostra um resultado indicando uma doença ou alteração, mas na verdade esta não existe. Exemplo: quando pedimos um teste ergométrico para um paciente, habitualmente queremos observar se há sinais de isquemia miocárdica. Digamos que foi solicitado um teste ergométrico para um jovem de 15 anos comletamente assintomático para liberá-lo para atividade física (indicação esta não respaldada por diretrizes). Se este pcte apresentar um infra de ST de 2 mm durante o esforço, provavelmente isto não será sinal de isquemia a julgar pelos comemorativos do caso. Digamos ainda que posteriormente foi feita investigação completa neste paciente (angiotc de coronárias, eco tt, etc) que mostrou definitivamente inexistir doença miocárdica ou coronariana. Confirma-se então, sem sombra de dúvida, que tratou-se de resultado falso-positivo para isquemia.

Como a troponina indica haver injúria miocárdica, não especificando se a mesma é secundária a infarto ou a outra etiologia, notamos que não há como acharmos um resultado falso-positivo para este exame. Sempre que detectarmos troponina acima do limite superior da normalidade, isto estará indicando algum grau de injúria miocárdica.

Resumindo:

Troponina aumentada no sangue = injúria miocárdica

Troponina aumentada no sangue = pior prognóstico

Troponina aumentada no sangue não é = a IAM

Referência: Hollander JD et al. State-of-the-Art Evaluation of Emergency Department Patients Presenting With Potential Acute Coronary Syndromes. J Am Coll Cardiol. 2016.

Banner Atheneu

Banner Atheneu

Banner ECG

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

4 comentários

  • E existe alguma recomendação formal de ressonância cardiaca precoce em todos esses pacientes com aumento de tropo, cate e eco normais?

    • Rafael, a rnm pode ser usada na investigação de certas doenças específicas. Um exemplo bastante comum é a miocardite. Há, contudo, de se considerar sempre o quadro clínico do paciente. Como dito no post, a troponina elevada pode ser consequência de um grande número de causas, a maioria das quias não necessitará de rnm para se confirmar o diagnóstico.

  • Entendo que a intenção aqui seja discutir situações de injúria miocárdica sem infarto.

    Mas especificamente sobre a troponina, os testes têm suas limitações. Partindo desse princípio, pode haver, sim, falsos positivos que não se traduzem em injúria miocárdica, como por reação cruzada do anticorpo utilizado no kit, ou por qualquer motivo que reduza o clearance da troponina circulante proveniente de turnover celular fisiológico.

    Segue apenas um de vários exemplos:

    https://www.cjcopen.ca/article/S2589-790X(22)00141-X/fulltext

    Relato de um caso de troponina persistente elevada em paciente jovem, sem injúria miocárdica.

Deixe um comentário

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anúncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site